UNICAMP 2018 – OBJETIVA

HISTÓRIA

 

QUESTÃO 1

Os gregos sentiram paixão pelo humano, por suas capacidades, por sua energia construtiva. Por isso, inventaram a polis: a comunidade cidadã em cujo espaço artificial, antropocêntrico, não governa a necessidade da natureza, nem a vontade dos deuses, mas a liberdade dos homens, isto é, sua capacidade de raciocinar, de discutir, de escolher e de destituir dirigentes, de criar problemas e propor soluções. O nome pelo qual hoje conhecemos essa invenção grega, a mais revolucionária, politicamente falando, que já se produziu na história humana, é democracia. (Adaptado de Fernando Savater, Política para meu filho. São Paulo: Martins Fontes, 1996, p. 77.)

Assinale a alternativa correta, considerando o texto acima e seus conhecimentos sobre a Grécia Antiga.

  1. a) Para os gregos, a cidade era o espaço do exercício da liberdade dos homens e da tirania dos deuses.
  2. b) Os gregos inventaram a democracia, que tinha então o mesmo funcionamento do sistema político vigente atualmente no Brasil.
  3. c) Para os gregos, a liberdade dos homens era exercida na polis e estava relacionada à capacidade de invenção da política.
  4. d) A democracia foi uma invenção grega que criou problemas em função do excesso de liberdade dos homens.

 

QUESTÃO 2

Estamos acostumados a considerar que o sistema centro/periferia, ao menos no Ocidente, é um eixo essencial da estrutura e do funcionamento no espaço das economias, das sociedades, das civilizações. O historiador Fernand Braudel estimou que tal sistema só existiu e funcionou plenamente a partir do século XV. Essa definição não se aplica à Cristandade Medieval sem importantes correções. A noção de centro e a oposição centro/periferia são menos decisivas que outros sistemas de orientação espacial. O principal sistema é o que opõe o baixo ao alto, quer dizer, o Aqui, esse “mundo” imperfeito e marcado pelo Pecado Original, ao céu, morada de Deus.

(Adaptado de Jacques Le Goff e Jean-Claude Schmitt, “Centro/Periferia”, em Dicionário temático do ocidente medieval, v. 2. São Paulo: Edusc, 2002, p. 203.)

A partir do texto acima, assinale a alternativa correta.

  1. a) Usada nas Ciências Humanas para a compreensão de períodos históricos desde a Antiguidade, a noção de centro/periferia perdura até a atualidade e estrutura o sistema econômico global contemporâneo.
  2. b) As noções de baixo e alto têm um sentido histórico mais preciso para a compreensão da Cristandade Medieval do que o sistema centro/periferia.
  3. c) O sistema centro/periferia é aplicável ao estudo da Cristandade Medieval, já que os feudos constituíam o centro da vida econômica e cultural naquele contexto.
  4. d) O sistema centro/periferia aplicado durante a Era Medieval espelhava o sistema de orientação baixo e alto, sendo o baixo o mundo do pecado e o alto o mundo da virtude cristã.

 

QUESTÃO 3

Na formação das monarquias confessionais da Época Moderna houve reforço das identidades territoriais, em função de critérios de caráter religioso ou confessional. Simultaneamente, houve uma progressiva incorporação da Igreja ao corpo do Estado, através de medidas de caráter patrimonial e jurisdicional que procuravam uma maior sujeição das estruturas e agentes eclesiásticos ao poder do príncipe. Na busca pela homogeneização da fé dentro de um território político, a Igreja cumpria também papel fundamental na formação do Estado moderno por meio de seus mecanismos de disciplinamento social dos comportamentos.

(Adaptado de Frederico Palomo, A Contrarreforma em Portugal, 1540-1700. Lisboa: Livros Horizonte, 2006, p.52.)

 

Considerando o texto acima e seus conhecimentos sobre a Europa Moderna, assinale a alternativa correta.

  1. a) Cada monarquia confessional adotou uma identidade religiosa e medidas repressivas em relação às dissidências religiosas que poderiam ameaçar tal unidade.
  2. b) Monarquias confessionais são aquelas unidades políticas nas quais havia a convivência pacífica de duas ou mais confissões religiosas, num mesmo território.
  3. c) São consideradas monarquias confessionais os territórios protestantes que se mostravam mais propícios ao desenvolvimento do capitalismo comercial, tornando-se, assim, nações enriquecidas.
  4. d) As monarquias confessionais contavam com a instituição do Tribunal do Santo Ofício da Inquisição em seu território, uma forma de controle cultural sobre religiões politeístas.

 

QUESTÃO 4

As plantações de mandioca encontradas pelas saúvas cortadeiras nas roças indígenas eram apenas uma entre várias outras. Em muitas situações, a composição química das folhas favorecia a escolha de outras plantas e a folhagem da mandioca era cortada apenas quando as preferidas das saúvas não eram suficientes. Já na agricultura comercial, machados e foices de ferro permitiam abrir clareiras em uma escala maior, resultando em grande homogeneidade da flora. Nas lavouras de mandioca de finais do século XVII e do início do século XVIII, as folhas da mandioca tornavam-se uma das poucas opções das formigas. Depois de mais algumas colheitas, a 2 infestação das formigas tornava-se insuportável, por vezes causando o completo despovoamento humano da área.

(Adaptado de Diogo Cabral, ‘O Brasil é um grande formigueiro’: território, ecologia e a história ambiental da América Portuguesa – parte 2. HALAC – História Ambiental Latinoamericana y Caribeña. Belo Horizonte, v. IV, n. 1, p. 87-113, set. 2014-fev. 2015.)

 

A partir da leitura do texto e de seus conhecimentos sobre História do Brasil Colônia, assinale a alternativa correta.

  1. a) A principal diferença entre as lavouras indígenas e a agricultura comercial colonial estava no uso de queimadas pelos europeus, o que não era praticado pelas populações autóctones.
  2. b) Comparadas à mandioca cultivada pelos indígenas, as novas espécies de mandioca trazidas da Europa eram menos resistentes às formigas cortadeiras, e por isso mais susceptíveis à infestação.
  3. c) Os colonizadores introduziram no território colonial novas espécies de mandioca e milho, que desequilibraram o sistema agrícola ameríndio, baseado no sistema rotativo de plantação.
  4. d) A agricultura comercial tendia à homogeneização da flora nas lavouras da América Portuguesa, combinando tradições europeias de plantio com práticas indígenas.

 

QUESTÃO 5

Consideramos estas verdades como autoevidentes: que todos os homens e mulheres foram criados iguais; que são dotados pelo Criador de certos direitos inalienáveis. Entre os direitos inalienáveis estão a vida, a liberdade e a busca da felicidade. Para garantir esses direitos, os governos são instituídos. Os poderes do governo emanam do consentimento daqueles que são governados. Qualquer governo que se torna destrutivo para os direitos inalienáveis pode ser destituído por aqueles que sofrem. Os que sofrem podem recusar lealdade e exigir a instituição de um novo governo. E assim tem sido o sofrimento das mulheres sob este governo. E, por isso, é necessário exigir uma mudança.

(Adaptado de Elizabeth Cady Stanton, A History of Woman Suffrage, v. 1. Rochester: Fowler and Wells, 1889, p. 70-71.)

Assinale a alternativa correta. O documento acima integra

  1. a) a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América, baseada nos princípios de Jean-Jacques Rousseau e do Pacto Social.
  2. b) a Declaração da primeira Convenção dos Direitos das Mulheres nos Estados Unidos da América, que reconhece os princípios liberais de John Locke e o direito à propriedade privada, ampliando-os.
  3. c) a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América, baseada nos princípios de Thomas Paine, que reconhece como direitos inalienáveis a vida, a liberdade e a busca da felicidade.
  4. d) a Declaração da primeira Convenção dos Direitos das Mulheres nos Estados Unidos da América, baseada nos princípios de Alexis de Tocqueville, que se opunha à democracia na América.

 

 

QUESTÃO 6

Em julho de 1917, convocou-se, em São Paulo, uma greve geral, com adesão de 45.000 trabalhadores, para pedir aumento salarial. A greve se estendeu ao Rio de Janeiro e levou o governo a reforçar o aparato repressivo e decretar estado de sítio em 1918. Nos anos de 1917-1919, o Chile registrou o recrudescimento da agitação sindical. Mobilizavam-se com facilidade 100.000 trabalhadores, como durante as manifestações contra o custo dos alimentos em 1918 e 1919. A Argentina foi outro país que teve um movimento sindical poderoso. Entre 1917 e 1921, o movimento sindical conheceu seu apogeu. Apenas durante o ano de 1919, registraram-se 367 greves na capital Buenos Aires.

(Adaptado de Olivier Dabène, América Latina no século XX. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003, p. 64-65.)

Considerando o texto acima e seus conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa correta.

  1. a) Os movimentos grevistas foram espontâneos e apartidários nos anos de 1910, rejeitando a infiltração ideológica das lideranças sindicais, de maioria marxista e comunista, pouco mobilizadoras no período.
  2. b) Os movimentos sindicais estavam em processo de fortalecimento, entre outras razões, pela intensa ruralização dos países latino-americanos na década de 1900.
  3. c) O processo de fortalecimento dos movimentos sindicais enfrentou um forte aparato repressivo, nos anos de 1920, marcado pela colaboração entre os Estados latino-americanos.
  4. d) Os movimentos sindicais latino-americanos apresentavam, em 1917, especificidades em relação aos da Europa quanto às pautas reivindicatórias dos trabalhadores.

 

 

QUESTÃO 7

Vistas em conjunto, as aspirações ruralistas não eram contraditórias ou incompatíveis com o programa desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek. A ideia de incompatibilidade entre o projeto nacional-desenvolvimentista e os interesses agrários era uma ficção.

(Adaptado de Vânia Moreira, “Os Anos JK: industrialização e modelo oligárquico de desenvolvimento rural”, em Jorge Ferreira e Lucília Delgado (Orgs.), O Brasil Republicano. v. 3. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, p. 169-170.)

Considerando a composição do setor rural nacional e o programa desenvolvimentista do governo JK, é correto afirmar que:

  1. a) A “Marcha para o Oeste” obteve grande êxito porque, além dos grandes ruralistas, conseguia atender também aos interesses dos pequenos posseiros, trabalhadores sem terra e indígenas.
  2. b) O desenvolvimentismo atendia às ambições da oligarquia rural, em função das políticas de modernização da agricultura, permitindo que ela se beneficiasse da expansão do mercado consumidor, um dos desdobramentos da industrialização.
  3. c) O Plano de Metas do governo JK fracassou porque os interesses do agronegócio se mostraram posteriormente inconciliáveis com as demandas da velha oligarquia rural das regiões Norte e Centro-Oeste.
  4. d) Os interesses agrários e o projeto de industrialização do nacional-desenvolvimentismo eram compatíveis porque o Partido Trabalhista Brasileiro era composto principalmente pela oligarquia rural.

 

QUESTÃO 8

A foto mostra, da esquerda para a direita, os atletas Peter Norman (australiano), John Carlos e Tommie Smith (norteamericanos), no pódio dos 200 metros rasos das Olimpíadas de 1968, no México.

(Disponível em http://www.gettyimages.co.uk/detail/news-photo/the-americansprinters-tommie-smith-john-carlos-and-peter-news-photo/186173327#theamerican-sprinters-tommie-smithjohn-carlos-and-peter-norman-the-pictureid186173327. Acessado em 01/08/2017.)

Considerando a imagem acima e seus conhecimentos acerca dos Movimentos de Direitos Civis, assinale a alternativa correta.

  1. a) A fotografia registra o ato de resistência de atletas negros que defendiam as propostas de Martin Luther King e a ação pacifista como caminho para a constituição da igualdade racial.
  2. b) A fotografia registra a manifestação política de três atletas que defendiam a Nação Islã e a implementação da Ku Klux Klan em todo o território nacional.
  3. c) A fotografia registra a manifestação de atletas defensores dos Panteras Negras e das ações violentas, se necessárias, para a conquista da igualdade racial.
  4. d) A fotografia registra a resistência de atletas e do Comitê Olímpico Internacional, que combatiam o sistema de discriminação racial existente nos Estados Unidos da América.

 

QUESTÃO 9

“Como na Argentina: Os corpos brotam do chão, como na Argentina. Corpo não é reciclável. Corpo não é reduzível. Dá para dissolver os corpos em ácido, mas não haveria ácido que chegasse para os assassinados do século. Valas mais fundas, mais escombros, nada adianta. Sempre sobra um dedo acusando. O corpo é como o nosso passado, não existe mais e não vai embora. Tentaram largar o corpo no meio do mar e não deu certo. O corpo boia. O corpo volta. Tentaram forjar o protocolo – foi suicídio, estava fugindo – e o corpo desmentia tudo. O corpo incomoda. O corpo faz muito silêncio. Consciência não é biodegradável. Memórias não apodrecem. Ficam os dentes.”

(Luís Fernando Veríssimo, “Como na Argentina”, em A mãe do Freud. Porto Alegre: L&PM Editores, 1985, p. 46.)

 

O texto se refere

  1. a) ao trauma coletivo das políticas repressivas e crimes de Estado praticados pelos regimes ditatoriais latinoamericanos.
  2. b) à memória dos exilados fugidos dos regimes ditatoriais latino-americanos da segunda metade do século XX.
  3. c) ao movimento dos Montoneros, em busca de seus filhos e netos desaparecidos no período da ditadura na Argentina.
  4. d) aos julgamentos em andamento contra o clientelismo do regime peronista praticada na Argentina.

 

QUESTÃO 10

(Edgar Fahs Memorial Collection, Department of Special Collections, University of Pennsylvania Library. Disponível em sceti.library.upenn.edu. Acessado em 14/08/2017.)

 

A ilustração anterior, com Marie Lavoisier representada à direita, foi produzida nas últimas décadas do século XVIII, e mostra uma experiência para entender a fisiologia da respiração e o papel do oxigênio nela. Considerando o contexto histórico e o seu conhecimento de química, assinale a alternativa correta.

  1. a) No século XVIII, Marie Lavoisier, como outras mulheres, não participava da produção do conhecimento científico. Por outro lado, seu marido, Antoine Lavoisier, ficou famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação da quantidade de matéria.
  2. b) A Revolução Francesa favoreceu cientistas e intelectuais franceses independentemente de suas posições ideológicas e das questões de gênero. É o caso de Marie Lavoisier e de Antoine Lavoisier, este último famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação das massas.
  3. c) No século XVIII, as mulheres participavam da produção do conhecimento científico. Marie Lavoisier registrou e publicou muitos dos experimentos feitos pela equipe de seu marido, Antoine Lavoisier, famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação das massas.
  4. d) A Revolução Francesa garantiu às mulheres a cidadania e a participação na produção do conhecimento científico. Marie Lavoisier registrou e publicou muitos dos experimentos feitos pela equipe de seu marido, Antoine Lavoisier, famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação da quantidade de matéria.

 

QUESTÃO 11

 

O pastor norte-americano Pat Robertson, dono do canal de comunicação Christian Broadcasting Network, afirmou que a tragédia provocada pelo terremoto no Haiti, em janeiro de 2010, foi decorrente do “pacto com o diabo” que setores da população haitiana teriam feito para que o país se tornasse independente. Nas palavras do Pastor, “Os haitianos estavam sob o jugo da França. Eles se uniram e fizeram um pacto com o diabo. Disseram: ‘Serviremos a ti caso nos liberte da França'”.

(Adaptado de Haroldo Ceravolo Sereza, “Pastor americano atribui terremoto a ‘pacto com o Diabo’ e provoca protestos; país se libertou da França em 1804”. Uol notícias. 14/01/2010. Disponível em https://noticias.uol.com.br/especiais/terremotohaiti/ultnot/2010/01/14/ult9967u9.jhtm. Acessado em 30/08/2017.)

 

 A partir da leitura do texto e de seus conhecimentos, assinale a alternativa correta.

  1. a) A independência do Haiti foi decisiva para que o Império Brasileiro, que projetava a construção de um Estado Nação reconhecido internacionalmente, reprimisse movimentos como a Revolta dos Malês, em Salvador (1835).
  2. b) A declaração do Pastor é pautada em preconceitos em relação às práticas religiosas dos afrodescendentes no Haiti. A conquista espiritual, parte dos projetos imperialistas, garantiu a eliminação de religiões consideradas pagãs nas Américas.
  3. c) Colônia francesa nas Antilhas, Saint Domingue tornou-se responsável por 40% da produção mundial de cacau no século XVIII. A mão de obra empregada era majoritariamente escrava, com a exploração de africanos ou de seus descendentes.
  4. d) O processo de independência do Haiti foi apoiado por outras colônias, interrompendo o projeto imperialista europeu no Novo Mundo. Após 1804, os EUA conduzem as ações imperialistas na América, tornando-se a principal referência cultural no continente.

GABARITO/COMENTÁRIO

1 – C = A Pólis era entendida pelos gregos como fruto da capacidade humana de autodeterminação, uma vez que os homens são responsáveis por sua condução racional a partir da criação e aplicação de leis; neste contexto, a política representa “a arte de viver na Pólis”, que evolui para o sistema democrático onde os cidadãos, e não uma casta que detém os direitos políticos, possuem o poder decisório.

 

2 – B = A partir do texto, o candidato poderia observar que a análise das sociedades, das civilizações e economias tinham um traço marcado pela religiosidade. Durante o período medieval a sociedade era teocêntrica e a Igreja era o elemento unificador da Europa. Já a partir do século XVI, iniciou-se o processo de expansão marítima europeia. Transformando as análises sociais e econômicas, observamos a propagação de ideias eurocêntricas que vislumbravam a Europa como centro e os outros continentes como periferia.

3 – A = A formação das monarquias europeias esteve diretamente ligada com o caráter religioso. Podemos ilustrar essa afirmação lembrando a reativação do Tribunal do Santo Ofício para garantir a unidade religiosa católica, principalmente em Portugal e Espanha. A religiosidade também marcou a formação dos Estados modernos através da “Paz de Augsburgo”, em 1555, no qual a religião do príncipe seria a religião dos súditos, no Sacro Império Romano Germânico. Desse modo, percebe-se que as monarquias nacionais em formação na Europa moderna buscaram adotar uma religião oficial, adotando políticas repressivas contra as demais em uma clara luta contra a diversidade religiosa.

4 – D = Durante o Brasil Colônia, a monocultura agrícola foi adotada para outros gêneros, sendo uma característica econômica da presença portuguesa no Brasil. A mandioca é uma planta nativa americana, e a sua produção em larga escala acaba por diminuir a diversidade da flora, já que o produto mais comercializado é o mais produzido. Assim, a homogeneização da flora a torna mais suscetível às pragas.

5 – B = O texto faz uma clara referência ao liberalismo político de John Locke, no qual os seres humanos seriam dotados de direitos humanos inalienáveis: vida, liberdade e propriedade privada. De acordo com o filósofo inglês, se o Estado se torna tirano, atentando contra estes direitos, a população deveria retirar o governante do poder, tal qual sugerido no texto, uma vez que estes direitos estavam sendo negados às mulheres.

6 – D = A presença maciça de operários imigrantes no movimento sindical de vários países latino-americanos foi decisiva para a penetração de ideologia políticas nascidas na Europa, tais como o anarcossindicalismo e o socialismo. Contudo, apesar dessa semelhança, a luta por direitos entre os operários latino-americanos contou com especificidades tais como a luta pela regulação do preço dos alimentos e regulamentação da jornada de trabalho de oito horas, questões já resolvidas em muitos países europeus. Vale a pena lembrar que a década de 1920 já registrava um processo de crescimento urbano em vários países da região, devido às levas de trabalhadores imigrantes que se dirigiam para São Paulo e Rio de Janeiro, desse modo contribuindo para a população operária brasileira.

7 – B = O governo de Kubitschek foi marcado pelo seu Plano de Metas e um forte impulso industrializante, sendo o grande responsável pela atração decisiva de trabalhadores do campo para a cidade. Graças às suas medidas de estímulo ao crescimento industrial, a população urbana no Brasil iria superar a rural na década seguinte, ampliando consideravelmente o mercado consumidor interno. Alheio aos protestos em torno da reforma agrária, que viriam a ganhar força com a formação das ligas camponesas, JK buscou favorecer a modernização da produção agrícola comercial com evidente privilégio para os grandes proprietários e o setor exportador. Com isso, a economia industrial e agrária se complementaram e se beneficiaram mutuamente, seja pela repulsão do trabalhador rural devido à mecanização, seja pela expansão do mercado consumidor.

8 – C = Tida como uma das imagens símbolo do século XX, a fotografia mostra os atletas afro americanos fazendo um gesto característico do movimento Black Power norte-americano. Marcamos a alternativa C pois Martin Luther King não trazia este gesto, nem a abordagem Black Power, de resistência, por vezes, violenta.

9 – A = Uma das características dos regimes militares, ou civil-militares, é a institucionalização da tortura como prática de ação do Estado. O texto de Veríssimo narra os efeitos desta prática e o trauma de consciência de torturados e torturadores. Ao dizer que as memórias não apodrecem temos a permanência dos efeitos da tortura nas pessoas. Permanece o trauma coletivo da ditadura.

10 – C = Interessante a abordagem e a necessidade de relação entre texto e imagem. O texto apresenta a imagem chamando atenção para a presença feminina: No canto, sentada à mesa com a pena na mão tomando notas. Tendo em vista que Lavoisier não conhecia os mols de moléculas e descreveu sua lei apenas com a observação da conservação das massas, temos a letra C como correta. Como indica a imagem, a esposa de Lavoisier o ajudava em seus trabalhos.

11 – A = A questão faz referência indireta a um fenômeno que se estabeleceu nas Américas após a Revolução do Haiti que é chamado de “Haitianismo“. A extrema violência das lutas pela independência no Haiti, com liderança e participação exclusivamente de libertos negros, viria a assombrar os proprietários de terras de diferentes países, com grande repercussão no Brasil. A monarquia brasileira, totalmente alinhada aos interesses dos fazendeiros locais, buscou desde o início anular ou evitar que qualquer revolta negra em território nacional pudesse obter êxito, mesmo que temporário. A ordem era coibir qualquer sentimento ou aspiração que pudesse pôr em risco o sistema escravista brasileiro.